Fiorani ajuda na articulação por aterro regional.

14/08/2017

O prefeito Luís Fiorani tem participado de várias reuniões com ou­tros chefes do Executivo da re­gião para discutir a criação de consórcio intermunicipal pa­ra aterros sanitários coletivos, que é uma das prioridades da Secretaria do Meio Ambiente e para a qual o governo do Estado de São Paulo destinou uma ver­ba de R$ 170 milhões.

O que pouca gente sabe, en­tretanto, é que Fiorani se tor­nou um dos protagonistas da ques­tão ambiental ao defender a uni­ão das prefeituras ao Co­de­var (Consórcio de Desenvol­vi­mento do Vale do Rio Grande), do qual já participam 15 mu­ni­cípios, incluindo Vista Alegre do Alto. A parceria tem o objetivo de bus­car as melhores solu­ções pa­ra o destino adequado do lixo pro­duzido nos municípios.

“As reuniões que aconte­ciam em Pirangi e os encontros promovidos pelo Codevar tra­ta­vam do tema de interesse co­mum, ou seja, a construção de um aterro sanitário regiona­li­zado para atender os municí­pios. Não fazia sentido, pois se os dois grupos tem o mesmo propósito, um fortalece o outro”, jus­tificou o prefeito de Vista Alegre. As assembleias come­ça­ram a acontecer no mês de abril em Pirangi, sendo que a maioria dos municípios que abra­çaram a ideia do consórcio in­termunicipal do lixo estão as­sociados ao Codevar.

Quando foi recebido pelo secretário de Meio Ambiente, Ricardo Salles, na capital (foto ao lado), Luís Fiorani reforçou os pe­didos diversos já feitos para atender a de­manda de seu mu­ni­cípio [como a liberação de recursos finan­cei­ros para a aquisição de um trator de es­teira e um novo cami­nhão coletor de li­xo] e aproveitou a oportu­nidade para levar ao conhecimento do ti­tular da pasta que as cidades decidiram se organizar em um con­sór­cio para resolver os pro­blemas re­la­cio­nados à destinação final do lixo.

Uma nova reunião, desta vez na Se­cre­taria do Meio Ambiente, em São Paulo, es­tá marcada para este dia 15 de agosto para discutir uma forma de destino regional pa­ra o lixo. O encontro contará com a presen­ça de representantes das cidades que com­põem o Consórcio de Desenvol­vi­mento do Vale do Rio Grande.

A Secretaria do Meio Ambiente está em­penhada em zerar a quantidade de ater­ros irregulares e, para isso, apos­ta na cria­ção de consórcios regionais. Ao todo, 17 lixões foram fechados pela secretaria em todas as regiões do Estado de São Pau­lo. Batizado de “Lixão Zero”, o progra­ma pre­tende resolver as pendências ainda exis­tentes com relação ao destino inade­quado dos resíduos sólidos. A ideia é que até o fim do ano São Paulo seja o primeiro Esta­do do país a acabar efetivamente com os lixões.