Prefeitura construirá calçada em áreas públicas para melhorar mobilidade.

28/05/2020

Os projetos de mobilidade urbana do governo municipal atendem não só os veículos, mas principalmente os pe­des­tres. Para oferecer mais segu­rança para quem anda a pé, a Prefeitura de Vista Alegre do Alto investirá pouco mais de R$ 156 mil na construção de quase 3.100 metros quadrados de cal­çadas em áreas públicas, nas quais serão instalados piso tátil e intertravados, além de 22 rampas de acessibilidade.

Entre elas, destacam-se os poços de captação de água dos bairros Carbone, Alvorada, Jar­dim Paulista e distrito industrial, além das áreas verdes da CDHU e Jardim Paulista. Outros pontos de obras são a praça da Rua Ma­ranhão, marginal do distrito industrial, área do sistema de lazer da CDHU, área institu­cio­nal do bairro Carbone e trechos das Ruas Catanduva (lado do Cras), Maranhão e Piauí.

O projeto ainda prevê a revi­ta­lização da calçada da Rua Herculano do Livramento que dá acesso ao cemitério, ao lado do campo municipal. A atual se­rá demolida. O jambolão, que danifica calçadas por causa de suas raízes agressivas e se torna inconveniente devido prin­cipalmente à sujeira produzida por seus frutos maduros que se acumulam no chão, preju­di­can­do a acessibilidade dos pedes­tres e podendo provocar aciden­tes, serão substituídos. No local, a prefeitura fará o plantio de mu­das de árvores das espécies qua­resmeira e árvore samam­baia que são mais indicadas para o espaço urbano.

Com a iniciativa, a prefeitura também se adequa às novas regras de arborização urbana previstas na legislação munici­pal que, inclusive, estabelece a implantação do espaço árvore, que consiste em deixar no en­torno das árvores um novo par­ce­lamento de solo com condi­ções mínimas adequadas ao local de plantio das espécies, garantindo de forma perene o seu crescimento e desenvol­vi­mento.

Todos os 15 pontos rece­be­rão piso tátil e o rebaixamento de guias criando uma rota aces­sível e segura às pessoas com dificuldade de locomoção. Para o prefeito Luís Fiorani, a calçada precisa ter segurança para todos os pedestres, em especial, crianças, idosos, gestantes e pessoas com deficiência física, visual, e mobilidade reduzida. “Calçada é sinônimo de segu­rança e facilidade na mobili­da­de”, ressaltou Fiorani.