Prefeitura de Vista Alegre adquire materiais para setor de psicologia.

29/07/2019

A Prefeitura de Vista Alegre do Alto, através da Secretaria Municipal de Saúde, adquiriu materiais para melhor atender os pacientes de psicologia e au­xiliar no processo psicote­ra­pêutico. Foram adquiridos di­­­­versos materiais como livros, jogos, baralhos, painéis, casi­nhas, família terapêutica, tes­tes, além de kit completo ABA que se destina ao tratamento de crianças autistas.

De acordo com especialis­tas, a casinha com móveis jun­tamente com a família tera­pêu­­­tica são essenciais no acom­panhamento infantil, uma vez que é através do lúdi­co e da fantasia que a criança se comunica, expressa seus sen­ti­mentos e oferece infor­ma­ções sobre a queixa, dando opor­tu­nidade ao terapeuta de entrar em seu mundo.

Os jogos, por sua vez, favore­cem a comunicação com a crian­ça e o adolescente. ‘“Co­mo me vejo’ promove o autoco­nhe­cimento e autoexpressão, enquanto o ‘Socialize-se’ e o ‘ba­­ralho das habilidades so­ciais’ auxiliam na maneira de se relacionar com o outro e a me­lho­rar a interação, relatam as psicólogas Carolina Romano Motta e Raquel Murakami Rissi.

Segundo elas, o baralho TDAH, assim como o livro “Su­cesso em TDAH” são impor­tantes instrumentos no trata­men­to de crianças que apre­sentam transtornos de déficit de atenção e hiperatividade. Os livros “Quando os pais se sepa­ram” e “Tornando a escola le­gal” também são ótimas fer­ramentas para abordar assuntos delicados na infância.

As profissionais comentam ainda sobre o “Baralho dos valo­res e sentidos da vida” que fa­ci­lita a interação com pacientes depressivos, tornando o pro­ces­so terapêutico mais rico e dire­cionado, além do teste “Pro­tea-R” que auxilia no diag­nós­tico do transtorno do es­pectro autista e o kit do método ABA, um material completo para aplicação em crianças com sus­peita do transtorno do es­pec­tro autista e mesmo com dificuldade especificas e/ou atrasos no desenvolvimento.

O setor de psicologia da Unidade Básica de Saúde do município de Vista Alegre rea­liza cerca de 300 aten­di­mentos por mês, consultando crian­ças, adolescentes, jo­vens, adul­­tos e idosos.